Você está aqui: Página Inicial CNPq lança o maior edital de sua história: R$ 642 milhões para os novos INCTs

CNPq lança o maior edital de sua história: R$ 642 milhões para os novos INCTs

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) lança hoje o maior edital de sua história, e um dos maiores da história da ciência brasileira: uma chamada de R$ 642 milhões para renovação do programa de Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCTs). Dezenas de projetos, com duração de seis anos, deverão ser selecionados até o início de 2015, com potencial para receber até R$ 10 milhões cada.

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) lança hoje o maior edital de sua história, e um dos maiores da história da ciência brasileira: uma chamada de R$ 642 milhões para renovação do programa de Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCTs). Dezenas de projetos, com duração de seis anos, deverão ser selecionados até o início de 2015, com potencial para receber até R$ 10 milhões cada.

O programa nasceu em 2008, com um edital de R$ 405 milhões, que selecionou 122 projetos, e depois cresceu para R$ 600 milhões, com a adição de novas fontes de recursos. Uma chamada complementar, em 2010, voltada especificamente para as ciências do mar, acrescentou 4 projetos e mais algumas dezenas de milhões de reais ao portfólio do programa.

No total, foram investidos R$ 850 milhões em 126 INCTs, envolvendo quase 7 mil pesquisadores, em quase 2 mil instituições, que nos últimos cinco anos (2009-2013) foram responsáveis por 20% da produção científica brasileira, segundo o presidente do CNPq, Glaucius Oliva. “Os resultados têm sido extraordinários”, resumiu ele, em uma conversa com jornalistas.

No balanço geral do programa, foram publicados 26.215 trabalhos em revistas científicas internacionais e 7.995, em revistas nacionais, além de 905 livros, envolvendo centenas de parcerias com laboratórios e instituições estrangeiras. Também foram geradas 118 inovações, incluindo produtos, processos e até políticas públicas associadas diretamente aos resultados das pesquisas. Quase 11 mil pesquisadores foram formados dentro do programa, entre mestres, doutores e pós-docs.

Leia mais:

 

http://blogs.estadao.com.br/herton-escobar/cnpq-lanca-o-maior-edital-de-sua-historia-r-642-milhoes-para-os-novos-incts/

Ações do documento